Fístula Anal

Share this...
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Print this page
Print

Geralmente a fístula anal surge após um abcesso no ânus, no entanto, também pode ser causada por doenças inflamatórias do intestino, como doença de Crohn ou diverticulite. Ela se caracteriza por uma ferida entre o final do intestino e a pele do ânus, criando um pequeno “túnel” que provoca sintomas como dor, vermelhidão e sangramento pelo ânus.

A secreção contida dentro do abscesso é eliminada naturalmente ou com ajuda de tratamento médico, dando lugar à formação de uma fístula anal, que é o resultado final da cura de um abscesso desta região. A fístula, portanto, comunica a região interna do canal anal ou reto até a pele da região externa do períneo ou nádegas. Não é uma complicação do tratamento e sim uma evolução natural da condição. É um problema que exige avaliação e tratamento especializado para sua cura. Não é sempre que um abscesso desta região produz uma fístula e, por isto, não se pode prever quando um abscesso irá formar uma fístula.

Entre as complicações desta doença está a infecção ou incontinência fecal. Os sintomas, além de vermelhidão, inchaço na pele do ânus, dor constante ao sentar ou caminhar, saída de pus ou sangue pelo ânus, também podem apresentar dor abdominal, diarreia, perda de apetite, diminuição do peso corporal e náuseas.


LEIA TAMBÉM:

Tratamento para Fístula Anal

Com informações da SBPC